Blogroll

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Pelo interior da Ilha de Santiago e Jardim Grandvaux Barbosa

Mal havíamos aterrado nesta verdejante ilha e rapidamente nos metemos à estrada feitos aventureiros na descoberta de novas paisagens e novos rostos. Como já referi, logo na chegada ficámos surpreendidos com tamanha quantidade de verde e pelos enormes vales e montanhas que a ilha nos presenteou. Essa paisagem idílica foi-se repetindo enquanto nos embrenhávamos pelo coração da ilha, a estrada em bom estado tornava mais prazerosa a descoberta, os rostos curiosos de uns brancos por aquelas terras distantes era rasgado com enormes sorrisos e acenos calorosos, essa sim era aquela África dos sonhos das pessoas sempre sorridentes. 
A ilha de Santiago presenteia os seus visitantes com paisagens de cortar a respiração!
 Pelo caminho fomos passando por diversas povoações onde pudemos admirar o dia a dia das suas gentes e os seus costumes. Pelas bermas da estrada avistam-se plantações e os seus trabalhadores no duro trabalho do campo que paravam só para nos acenar. Só por esta recepção a Ilha de Santigao já estava a valer mais do que a pena, era e ainda é uma recomendação a quem visita Cabo Verde, saímos da nossa zona de conforto e obviamente estava a valer a pena!
Cabeça de Preto - o perfil desta rocha faz lembrar um rosto africano
Com a curiosidade mais que aguçada pela novidade de estar numa ilha quase desconhecida da grande maioria dos turista não deixamos de perder as oportunidades que nos foram surgindo e acontecem um dos momentos mais embaraçosos que tive durante as minhas viagens, mas nisso falarei no próximo post!

Durante cerca de uma hora e meia fomos entrando no coração da maior ilha do arquipélago desde que havíamos saído da cidade da Praia. Em breve surgiria a nossa primeira paragem no Município de São Lourenço dos Órgãos, que por mais que tenha investigado não consegui desvendar o mistério de tão peculiar nome! 
Esta região da ilha fica num vale verdejante repleto de ribeiras e riachos onde a vida passa bem devagar e sem grandes sobressaltos, houve tempo para beber um trago de Grogue e os locais rirem-se das nossas caretas após a degustação desta bomba etílica.



Jardim Botânico de Grandvaux Barbosa

Com o calor do início da manhã a apertar e uma vontade enorme de dar um mergulho numa praia de águas quentes (que sabíamos estar reservado para nós) fizemo-nos à estrada de terra batida assim que estacionamos a viatura. A paisagem, essa mesmo de cortar a respiração, ocultava os portões do único Jardim Botânico nas ilhas que dá pelo nome pomposo de Grandvaux Barbosa. Criado em 1986 no município de São Lourenço dos Órgãos, este jardim situado a 400 metros de altitude foi criado com o intuito de proteger as frágeis espécies vegetais endémicas. Tem cerca de 100 espécies diferentes e além d estar aberto ao turismo também trabalha na investigação botânica
Apesar da beleza natural ser excepcional o jardim em si não é dos mais bonitos que se possa visitar, mas dados todos os contingentes em que está inserido vale muito a pena a vista. Por outro lado as vistas do jardim para o ambiente que o envolve são das mais impressionantes de toda a ilha e só por isso vale a pena a deslocação.


 

4 COMENTÁRIOS :

  1. Respostas
    1. Bem verdade um Oásis verde no meio daquelas ilhas quase deserticas. Fique atenta aos próximos post com mais fotografias

      Eliminar
  2. Sou da Ilha de Santiago e fico muito feliz que tenhas gostado...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ola Sara podes crer que foi uma grande surpresa descobrir Cabo Verde e em especial esta ilha

      Eliminar